Guardas Municipais são capacitados em Libras para acolher comunidade surda

0
49


Curso tem carga horária de 40h, conta com a participação de 60 guardas municipais e teve início nesta quarta-feira (4)

A inclusão social e a acessibilidade aos serviços públicos têm sido marcas na atual gestão da Prefeitura de Maceió, e para continuar avançando nesta área a Guarda Municipal de Maceió (GMM) está sendo capacitada na Língua Brasileira de Sinais (Libras) para melhor acolher a comunidade surda. O curso está sendo desenvolvido em parceria uma parceria entre a Secretaria Municipal de Segurança Comunitária e Convívio Social (Semscs) e a Universidade Federal de Alagoas (UFAL), e teve início nesta quarta-feira (4).

Inicialmente, a capacitação será destinada para 60 guardas municipais, feita de forma on-line, com uma carga horária total de 40 horas, e ministrada por acadêmicos do curso de Letras/Libras da UFAL.

Sessenta guardas municipais serão capacitados, de forma inicial, em parceria com o curso de Letras/Libras da Ufal. Foto: Patrick Fernando

De acordo com Thiago Prado, secretário Municipal de Segurança Comunitária e Convívio Social, a capacitação em Libras vem para trazer mais qualidade aos serviços da GMM.

“A segurança pública é um direito de todos, por isso que pensamos o policiamento comunitário desenvolvido pela Guarda Municipal como algo inclusivo, que precisa atender a toda a coletividade. Nesse cenário, o curso de Libras busca acolher a comunidade surda, que muitas vezes é esquecida pelo poder público”, afirmou o secretário.

Entre os temas que serão abordados durante o curso estão comunicação e visualidade; libras e o surdo: aspectos comunicacionais e culturais; comunicação em libras: o guarda municipal e o surdo; e abordagem do surdo na rua.

O curso será coordenador pelos professores Jair Barbosa e Ewerton Douglas do curso de Letras/Libras da UFAL. Segundo Jair Barbosa a estratégia utilizada irá proporcionar aos guardas municipais o aprendizado de uma comunicação básica em Libras com a comunidade surda.

“Ao final do curso teremos guardas capazes de se comunicar com uma pessoa surda durante uma abordagem na rua, vai poder entender com propriedade um pedido de ajuda dessa população em casos de emergência ou mesmo em um simples pedido de informação”, destacou o professor.

Os 60 guardas municipais foram divididos em duas turmas de 30 alunos, com as aulas acontecendo dias de quarta-feira e sexta-feira, sendo cada turma em um dia. Para Raimundo Maia, coordenador de ensino e instrução da Semscs, a comunicação básica em Libras vai trazer mais confiança aos agentes da GMM, que vão se sentir mais seguros com uma comunicação eficaz com pessoas surdas.

“O aprendizado dessa capacitação vem para garantir inclusão e acessibilidade à comunidade surda. Além de trazer confiança aos guardas, a comunidade também vai se sentir mais segura e acolhida quando for buscar a ajuda da GMM, sabendo que as demandas serão compreendidas”, afirmou o coordenador.

Após o curso, os 60 guardas municipais receberão um brevê identificando que aquele agente compreende a Língua Brasileira de Sinais e pode se comunicar de uma melhor maneira com a comunidade surda.

João Victor Barroso / Ascom Semscs





Source link