Governo libera mais R$ 26,8 milhões em subsídios para famílias financiarem moradia


O Governo do Estado vai subsidiar parte do financiamento da casa própria a mais 1.784 famílias paranaenses. Os investimentos, de aproximadamente R$ 26,8 milhões, foram anunciados nesta segunda-feira (20) pelo governador Carlos Massa Rainho Junior. A iniciativa se dá em parceria com o governo federal, municípios e iniciativa privada no âmbito do programa Casa Fácil Paraná.

Com o novo lote de empreendimentos habilitados, o terceiro do programa, chega a 4.844 o número de famílias beneficiadas pela iniciativa. A meta é atingir 30 mil beneficiários com a concessão de um subsídio de R$ 15 mil por imóvel, para custeio do valor de entrada de financiamentos da Caixa Econômica Federal no Paraná.

“O Casa Fácil é o maior programa de um governo estadual para a construção de casas populares no Brasil. Ele dá a oportunidade para que milhares de famílias paranaenses realizem o sonho da casa própria”, destacou o governador. “O programa tem um diferencial. Às famílias que recebem até três salários mínimos, e muitas vezes não conseguem guardar o dinheiro para dar entrada no financiamento, o governo dá R$ 15 mil para elas pagarem o valor de entrada”.

Os conjuntos habitacionais anunciados nesta etapa serão construídos em 11 cidades: Araucária, Cambé, Guairaçá, Guarapuava, Irati, Londrina, Marialva, Ponta Grossa, Reserva, Santa Cruz de Monte Castelo e Telêmaco Borba.

Além das unidades que serão subsidiadas, os empreendimentos contam também com imóveis disponíveis ao público em geral, totalizando 3.620 moradias e investimento de R$ 584,5 milhões. A lista pode ser consultada, por município, no endereço cohapar.pr.gov.br/empreendimentos.

R$ 1,3 BILHÃO – De acordo com o diretor-presidente da Cohapar, Jorge Lange, a empresa pública vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Urbano e de Obras Públicas já habilitou a construção de 8.895 unidades habitacionais no Estado, que representam investimentos de R$ 1,3 bilhão. Deste total, 4.844 imóveis contam com subsídio para o valor de entrada, o que soma R$ 76,8 milhões oriundos diretamente do Tesouro Estadual.

O objetivo, ressaltou ele, é disponibilizar R$ 450 milhões em subsídios, beneficiando 30 mil famílias de todo o Paraná. Além disso, a construção dos empreendimentos pode gerar até 100 mil empregos diretos e indiretos. A previsão é que a Caixa Econômica financie, pelo programa Casa Verde e Amarela, R$ 4 bilhões em empreendimentos habitacionais no Estado.

“O programa consegue incluir pessoas com uma faixa de renda mais baixa na realização do sonho da casa própria”, afirmou Lange. “Todos esses recursos disponibilizados para a construção de moradias geram empregos, movimentam a economia e trazem qualidade de vida”.

MUNICÍPIOS O maior volume de investimentos será para Ponta Grossa. A cidade dos Campos Gerais vai receber R$ 12,6 milhões do Governo do Estado nesta etapa, recursos que vão facilitar a compra da casa própria de 839 famílias. Quatro empreendimentos serão construídos no município, que totalizam 1.646 imóveis.

“No mês de aniversário da cidade, esse é um grande presente para quase 900 famílias que terão essa ajuda do Estado para financiar a casa própria”, salientou a prefeita de Ponta Grossa, Elizabeth Schmidt.

Para Irati, no Centro-Sul do Estado, o Governo do Estado vai destinar R$ 2,1 milhões para subsidiar a construção de 139 moradias. O condomínio, que começará a ser construído no final de outubro, no bairro Engenheiro Gutierrez, contará com 174 unidades e terá investimento total de R$ 24,4 milhões.

“Temos em Irati uma demanda de mais de 3 mil famílias aguardando um teto. A celebração desse convênio com o governo é muito importante para realizar o sonho dessas 174 famílias que precisam de uma moradia”, explicou o prefeito Jorge Derbli. “Com o andamento das obras, em poucos meses teremos a satisfação de fazer a entrega das chaves. A infraestrutura do terreno já está preparada para a construção das casas”.

Esta é a segunda semana consecutiva que o município de Santa Cruz de Monte Castelo, na região Noroeste, confirma a construção de empreendimentos imobiliários com apoio do Governo do Estado. Na semana passada, foi assinada a ordem de serviço para dar início às obras de 34 residências, através do programa Casa Fácil – financiamento que usa recurso da carteira própria da Cohapar.

Nesta etapa, serão mais 40 imóveis, todos eles recebendo o subsídio para entrada, no valor que chega a R$ 600 mil. “A Caixa Econômica financia até 80% do valor da casa, e os outros 20% precisam ser pagos pelo mutuário. Muitas pessoas que precisam de moradia não têm o dinheiro para a entrada. Por isso esse programa do Governo do Estado é inovador, porque ajuda essas famílias”, disse o prefeito Fran Boni.

Os conjuntos habitacionais anunciados nesta etapa serão construídos em 11 cidades: Araucária, Cambé, Guairaçá, Guarapuava, Irati, Londrina, Marialva, Ponta Grossa, Reserva, Santa Cruz de Monte Castelo e Telêmaco Borba. Foto: Gilson Abreu/AEN

COMO PARTICIPAR – Podem pleitear o desconto famílias com renda mensal de até três salários mínimos que não possuam casa própria e não tenham sido beneficiadas por outros projetos habitacionais do Governo do Estado ou da União. Para os interessados em receber o benefício, as inscrições devem ser feitas no site cohapar.pr.gov.br/cadastro, por meio do preenchimento de uma ficha com dados pessoais, financeiros e de composição familiar, além da escolha do município de interesse.

Caso haja empreendimentos disponíveis para a cidade de escolha no momento do cadastro, haverá uma opção para manifestação de interesse no empreendimento. Cidadãos inscritos anteriormente serão notificados por e-mail quando novos projetos forem aprovados.

A concessão do subsídio depende de análise da Cohapar acerca do enquadramento dos candidatos. Também serão necessárias a aprovação de crédito do financiamento junto à Caixa Econômica e a negociação das condições de compra com a construtora responsável, conforme já acontece nos processos normais de aquisição de moradias do Casa Verde e Amarela.

EMPREGO E RENDA – O objetivo do programa é reduzir o déficit habitacional do Estado, que é de 322 mil casas, de acordo com o Plano Estadual de Habitação de Interesse Social (PEHIS), elaborado pela Cohapar. Além do impacto social às famílias diretamente atendidas, a modalidade deve gerar cerca de 100 mil empregos diretos e indiretos na indústria da construção civil.

CADASTRO DAS CONSTRUTORAS – Construtoras com projetos habitacionais vinculados ao programa Casa Verde e Amarela podem se habilitar no Chamamento Público da Cohapar para oferecer os benefícios do Governo do Estado em seus empreendimentos. O número de unidades subsidiadas segue cotas de atendimento do programa por empreendimento e município, com o intuito de garantir o atendimento a todas as regiões paranaenses.

PRESENÇAS – Participaram das assinaturas o vice-governador Darci Piana; os secretários de Desenvolvimento Urbano e de Obras Públicas, João Carlos Ortega, de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, e de Desenvolvimento Sustentável e Turismo, Márcio Nunes; o chefe da Casa Civil, Guto Silva; o presidente da Assembleia Legislativa do Paraná, Ademar Traiano; os deputados estaduais Hussein Brakri (líder do Governo), Alexandre Curi, Cristina Silvestri, Artagão Junior, Nelson Justus, Maria Victória, Do Carmo, Evandro Araújo, Dr, Batista e Luiz Cláudio Romanelli; o deputado federal Ricardo Barros; além de prefeitos dos municípios que receberão as casas.

Confira a relação completa dos projetos homologados nesta etapa:

Araucária

144 imóveis, sendo 100 unidades subsidiadas

Investimento total: R$ 25,4 milhões

Subsídio estadual: R$ 1,5 milhão

Cambé

304 imóveis, sendo 209 subsidiados

Investimento total: R$ 49 milhões

Subsídio estadual: R$ 3,1 milhões

Guairaçá

23 imóveis, sendo 23 subsidiados

Investimento total: R$ 3,2 milhões

Subsídio estadual: R$ 345 mil

Guarapuava

67 imóveis, sendo 47 subsidiados

Investimento total: R$ 10,7 milhões

Subsídio estadual: R$ 705 mil

Irati

174 imóveis, sendo 139 subsidiados

Investimento total: R$ 24,4 milhões

Subsídio estadual: R$ 2,1 milhões

Londrina

852 imóveis, sendo 235 subsidiados

Investimento total: R$ 134,2 milhões

Subsídio estadual: R$ 3,5 milhões

Marialva

208 imóveis, sendo 82 subsidiados

Investimento total: R$ 29,8 milhões

Subsídio estadual: R$ 2 milhões

Ponta Grossa

1.646 imóveis, sendo 839 subsidiados

Investimento total: R$ 245,6 milhões

Subsídio estadual: R$ 12,6 milhões

Reserva

50 imóveis, sendo 50 subsidiados

Investimento total: R$ 5,5 milhões

Subsídio estadual: R$ 750 mil

Santa Cruz de Monte Castelo

40 imóveis, sendo 40 subsidiados

Investimento total: R$ 5,3 milhões

Subsídio estadual: R$ 600 mil

Telêmaco Borba

112 imóveis, sendo 20 subsidiados

Investimento total; R$ 15,7 milhões

Subsídio estadual: R$ 300 mil





Source link