França: Comissão começa a investigar vazamento de e-mails de Macron

0
53
FRA - FRANÇA/ELEIÇÃO - INTERNACIONAL - O candidato presidencial francês, Emmanuel Macron vota no primeiro turno da eleição presidencial francesa em Le Touquet, norte da França. Os eleitores franceses se dirigem às urnas neste domingo, para o primeiro turno de uma eleição presidencial que acabou se transformando em um referendo sobre o futuro do sistema francês de direitos e a respeito da posição do país na União Europeia. O esquema de segurança foi reforçado, após um ataque terrorista. 23/04/2017 - Foto: PHILIPPE WOJAZER/POOL/ASSOCIATED PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

O órgão que supervisiona a campanha eleitoral na França está investigando o ataque de hackers que vazaram uma grande quantidade de e-mails da campanha do candidato favorito à presidência do país, Emmanuel Mácron. Seu movimento político chamou o ataque de uma última tentativa para interromper seu favoritismo na eleição, que acontece neste domingo (7/5).

As interferência de hackers em eleições têm crescido constantemente e ganharam nova face na noite de sexta-feira (5/5), quando a equipe de Mácron veio a público dizer que tinha sido vítima de uma ataque “massivo e coordenado” de hackers.

 Segundo a campanha de Macron, hackers não identificados acessaram e-mails pessoais de funcionários e vazaram material de financiamentod e campanha, assim como contratos.

A comissão que supervisiona a campanha francesa disse em um comunicado que realizará uma reunião neste sábado depois de ter sido informada sobre os vazamentos.

A campanha presidencial tem sido conflituosa desde o início, com os eleitores atirando ovos e farinha nos candidatos, manifestantes se chocando com a polícia e candidatos insultando uns aos outros na televisão nacional.

Sua maior rival, Marine Le Pen, de 48 anos, segue cerca de 20 pontos abaixo de Mácron. Ainda assim, a candidata de extrema-direita tem conseguido inúmeros eleitores com seu discurso anti zona do euro e União Europeia.